Meu Perfil
BRASIL, Nordeste, SALVADOR, DOIS DE JULHO, Homem, de 36 a 45 anos, Arte e cultura, Música, Livros



Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Arca da Arte
 Pinacoteca Básica
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis


 
 
Observatório da Arte


MÁRIO CRAVO JR MONUMENTAL

 Monumento à Cidade, Mário Cravo Jr

Mário Cravo Jr (1923) é um dos maiores gênios das artes plásticas da Bahia em todos os tempos, um artista renomado nacionalmente, com obras espalhadas em museus em em todo o mundo. Além disso, ele é um dos últimos artistas vivos que integraram o movimento de arte moderna, que mudou o cenário da artes plásticas da Bahia, entre o final do anos 1940 e início dos anos 1950. Foi um momento célebre para arte baiana, onde nomes do quilade de Carybé, Genaro de Carvalho, Carlos Bastos entre outros implantarm o modernismo na Bahia. 

 Gravador, desenhista, pintor, certamente Cravo é mais conhecido como escultor, principalmente pelas suas obras monumentas em lugares públicos.

Em Salvador, sua cidade natal, Mário tem varias esculturas espalhadas pela cidade, em praças, edifícios e parques. Contudo, particularmente há duas que eu tenho uma profunda admiração: uma é o Monumento à Cidade e a outra é A Cruz Caída.

A primeira, Monumento À Cidade, há muito tempo já se tornou um cartão postal dacapital baiana. Construída em 1970 em fibra de vidro numa estrutura metálica, e no local onde se encontrava o antigo Mercado Modelo, a obra mesmo com seu perfil moderno, conseguiu integrar-se num cenário dominado por uma arquitetura antiga, entre o barroco e o ecletismo do início do século XX, sem haver um choque ou contraste negativo. Quando vejo a foto clássica do "frontão" da cidade de Salvador, a obra de Cravo parece fazer parte um grande time, só que ícones que simbolizam a Bahia, como o Mercado Modelo, o Elevador Lacerda e Igreja da Conceição da Praia.

 

Antigo Mercado Modelo

 

A Cruz Caída, Mário Cravo

Em seguida destacaria uma escultura mais recente, de 1999, A Cruz Caída. A obra simboliza serve para lembrar o maior "assassinato arquitetônico" da história de Salvador: a demolição da antiga Sé Primacial do Brasil, em 1933. A ação era para a construção de uma linha de bonde, e o fato na época causou revolta e comoção.

 



Escrito por Sidney Falcao às 13h03
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]